n w

baner
Você está em:   Home Notícias

Poli 100 Anos
Câmara Municipal do Recife homenageará o Centenário da Escola Politécnica de Pernambuco PDF Imprimir E-mail
SEX, 24 de Fevereiro de 2012 19:40

A Poli orgulhosamente informa, que a Câmara Municipal do Recife homenageará o Centenário da Escola Politécnica de Pernambuco - POLI, no dia 21 de Março de 2012, às 10h.

Segue trecho do documento enviado pela Câmara Municipal do Recife.

 
História da Engenharia no Brasil PDF Imprimir E-mail
QUI, 23 de Fevereiro de 2012 18:37

História da Engenharia no Brasil

A engenharia clássica foi responsável pelo aparecimento de armamentos, fortificações, estradas, pontes, canais, instrumentos, etc...

O ensino de Engenharia através dos tempos: 

Na antiguidade, no século XVIII, surgiram na França as primeiras escolas de engenharia. São elas: a École des Ponts et Chaussées (1747), a École de Mines (1783) e a École Polytechnique (1794), nesta aconteceu o casamento da Ciência com a Engenharia.


Implantação do ensino de Engenharia no Brasil

No final do século XVIII instalou-se no Brasil o curso de fortificações, artilharia, etc., na Real Academia de Artilharia, Fortificação e Desenho. Logo depois surguiram a Academia Real Militar, em 1810, e a Academia Militar e de Marinha, em 1831, com o  curso de “engenheiro de pontes e calçadas”.

Logo depois se instalava no Rio de Janeiro a Escola Central, em 1858, destinada exclusivamente à formação de engenheiros, tendo inclusive um curso de Engenharia Civil. O Instituto Militar de Engenharia - IME, ligado ao Exército Brasileiro (Ministério da Defesa) foi criado em data não precisa no decorrer do século XVIII.

 A Escola Politécnica do Rio de Janeiro, criada em 1874, consolidou o ensino da Engenharia no nosso país. Esta foi considerada a sucessora da Escola Central.

Daí em diante foram surgindo diversas escolas como:


  • A Escola Nacional de Engenharia,  em 1937;
  • A Escola de Engenharia, do Rio de Janeiro, em 1965;
  • A Escola de Minas de Ouro Preto, em 1876,  no mesmo padrão da École de Mines de Paris e a École Normale Supérieure. Novos conceitos de ensino da engenharia com a introdução de práticas de laboratórios e viagens de estudos.
  • A Escola Politécnica de São Paulo - POLI, em 1893. tinha linha germânica e  valorizava o ensino prático.
  • A Escola de Engenharia de Pernambuco, em 1895: extinta em 1903, sendo substituída por outra instituição, atual Escola de Engenharia da Universidade Federal de Pernambuco;
  • A Escola de Engenharia Mackenzie, em 1896: ligada inicialmente à Universidade de New York e hoje vinculada à Universidade Presbiteriana Mackenzie;
  • A Escola de Engenharia de Porto Alegre, em 1896: em 1931 Universidade Técnica e hoje Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul;
  • A Escola Politécnica da Bahia, em 1897: Incorporada pela Universidade Federal da Bahia em 1946.
  • A Escola Politécnica de Pernambuco - POLI, em 1912: incorporada pela Universidade de Pernambuco em 1991.


Até 1946 existiam, no Brasil, um total de 15 instituições de ensino de engenharia. Na década de 60 houve um significativo crescimento do número de instituições. Em meados da década de 70 já contávamos com mais de 100 instituições de ensino superior com mais de 300 cursos de engenharia. Hoje, existem no Brasil, quase 200 instituições com mais de 600 cursos de engenharia. 

Atualmente o engenheiro tem formação abrangente, tanto sistêmica quanto analítica, fundamentada em sólidos conhecimentos das ciências básicas para a Engenharia, com atitude de sempre aprender. É preparado de maneira tal que assuma uma postura de bom relacionamento humano e de comunicação. São indispensáveis atitudes como: uma postura ética, comprometimento cultural e social com o Brasil.



 
Professores Fundadores PDF Imprimir E-mail
QUI, 23 de Fevereiro de 2012 18:36

Professor Antônio Tavares Honorato

Professor Bianor de Medeiros

Professor Epitácio Monteiro

Professor Eugênio Meira Vasconcelos

Professor João de Sá Leitão

Professor Joaquim Cavalcanti Leal de Barros

Professor José Faria Neves Sobrinho

Professor José Paulo Barbosa Lima

Professor Miguel Augusto de Oliveira

Professor Odilon Tucumam

Professor Ricardo José da Costa Pinto

Professor Rodolfo de Amorim Garcia

 
Diretores PDF Imprimir E-mail
QUI, 23 de Fevereiro de 2012 18:25

Ordem               Nome

Período

1º.                      Professor Ricardo José da Costa Pinto

1911-1913
2º.                      Professor Joaquim Cavalcanti Leal de Barros 1913-1916
3º.                      Professor João Moraes Vieira da Cunha 1916-1919
4º.                      Professor Ricardo José da Costa Pinto 1919-1920
5º.                      Professor Joaquim Cavalcanti Leal de Barros 1920-1921
6º.                      Professor Ricardo José da Costa Pinto 1921-1922
7º.                      Professor Fernando César de Andrade 1922-1923
8º.                      Professor Gastão Pinto da Silveira 1923-1924
9º.                      Professor Antônio Tavares Honorato 1924-1925
10º.                    Professor Honório da Costa Monteiro Filho 1925-1928
11º.                    Professor Honório da Costa Monteiro Filho 1929-1932
12º.                    Professor Antônio Maria de Figueiredo Júnior 1932-1935
13º.                    Professor Francisco Bandeira de Melo 1935-1936
14º.                    Professor Carlos de Siqueira Cavalcanti 1936-1937
15º.                    Professor José Jayme de Oliveira da Silva 1937-1940
16º.                    Professor José Jayme de Oliveira da Silva 1940-1943
17º.                    Professor José Jayme de Oliveira da Silva 1943-1950
18º.                    Professor Luiz Paulo de Freitas 1951-1955
19º.                    Professor José Torres Pires 1956-1968
20º.                    Professor Rawilseam Dutra de Almeida Lira 1968-1974
21º.                    Professora Esmeraldina Pereira da Silva 1974-1975
22º.                    Professor Rawilseam Dutra de Almeida Lira 1975-1978
23º.                    Professor Rawilseam Dutra de Almeida Lira 1979-1982
24º.                    Professor Romero Gomes da Silva Bastos 1982-1984
25º.                    Professor Breno Rodrigues de Souza 1984-1986
26º.                    Professor Breno Rodrigues de Souza 1986-1990
27º.                    Professor Armando Carneiro Pereira do Rego 1990-1994
28º.                    Professor Armando Carneiro Pereira do Rego 1994-1998
29º.                    Professor Carlos Magno Padilha Cursino 1999-2002
30º.                    Professor Carlos Fernando de Araújo Calado 2002-2006
31º.                    Professor Pedro de Alcântara Neto 2007-2010
32º.                    Professor Pedro de Alcântara Neto 2010-2014


 
Cursos PDF Imprimir E-mail
QUI, 23 de Fevereiro de 2012 18:23

Curso

Ato

Data

Engenheiria Geigráfica

Lei Rivadávia

05/04/1911

Engenheiria Geográfica e de Estradas

Lei Rivadávia

05/04/1911

Engenheiria Civil

Lei Rivadávia

05/04/1911

Engenheiria Civil Industrial

Lei Rivadávia

05/04/1911

Química

Lei Rivadávia

05/04/1911

Engenheiria Arquitetônica

Lei Rivadávia

05/04/1911

Engenheiria de Agrimensura

Lei Rivadávia

05/04/1911

Engenharia Industrial Mecânico

Decreto nº. 17.528

28/11/1944

Engenheiria Industrial Químico

Decreto nº. 17.528

28/11/1944

Engenharia Civil

Decreto nº. 38.187

03/11/1955

Engenharia Eletricista

Decreto nº. 38.187

03/11/1955

Engenharia Mecânica

Decreto nº. 57.838

18/02/1966

Engenharia Mecânica Industrial

Resolução CEPE 16/99

31/05/1999

Engenharia Mecânica Mecatrônica

Resolução CEPE 16/99

31/05/1999

Engenharia Elétrica Eletrotécnica

Decreto nº. 57.838

18/02/1966

Engenharia Elétrica Eletrônica

Decreto nº. 57.838

18/02/1966

Engenharia Elétrica Telecomunicações

Resolução CEPE 16/99

31/05/1999

Engenharia da Computação

Resolução CEPE 16/99

31/05/1999


 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 Próximo > Fim >>

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL