Engenharia Elétrica Eletrotécnica


PPCs, Equivalências, Autorização de Reconhecimento e Outros Documentos

Modalidade Eletrotécnica:

A Engenharia Elétrica Eletrotécnica é a subárea da engenharia elétrica que estuda as técnicas de processamento da energia elétrica, isto é, a geração, transmissão e distribuição da energia elétrica, o que inclui também, o estudo do seu mercado, assim como o aproveitamento dessa energia nas instalações elétricas industriais, comerciais e residenciais.

No que diz respeito ao subsistema de geração de energia elétrica no Brasil, a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) prevê para o período de 2021 a 2030, em seu Plano Decenal de Expansão da Energia 2030 (PDE 2030), conforme pode ser inferido pela análise da Figura 1, uma expansão de cerca de 37% (de 663 para 909 TWh) da produção de energia elétrica (EE). Deste aumento, verifica-se uma previsão de ampliação da geração de EE por fontes eólicas, biomassa e solar, de 72%, contra apenas cerca de 22% de ampliação da geração de EE pelas convencionais hidrelétricas (UHE) e termelétricas (UTE).

Com o cenário apresentado na Figure 1, constata-se uma previsão de ampliação da renovabilidade da matriz elétrica nacional, segundo o PDE 2030, atingirá 86%.

Os investimentos previstos para o sistema de transmissão brasileiro, ou seja, em linhas de transmissão e subestações, empregadas no transporte da energia elétrica ao longo do SIN (Sistema Interligado Nacional) para o período de 2021 – 2030, totalizarão cerca de 59 bilhões, em cenário pessimista, e 108 bilhões em um cenário otimista, segundo apresentado na Figura 2.

Já para o subsistema de distribuição de energia elétrica, outra área em plena expansão na engenharia elétrica nacional figuram desafios tecnológicos, tais como:

  • Redes Elétricas Inteligentes: utilização de dispositivos de medição, proteção e controle inteligentes, assim como equipamentos baseados em eletrônica de potência, para incorporar maior controlabilidade de redes elétricas convencionais (ver Figura 3  e Figura 4 ).  
  • Geração Distribuída: instalação de micro e minigerações alternativas renováveis tais como eólicas e, especialmente, solar fotovoltaicas, nas residências/indústrias/comércios, os sistemas de distribuição passam e receber suprimento local de energia elétrica, quebrando o paradigma brasileiro da geração concentrada ou centralizada e apresentando desafios relativos ao controle de tensão e frequência dessas fontes (ver Figura 5).  
  • Conservação da Energia Elétrica: incentivado ao uso eficiente da energia elétrica através de estratégias de combate ao desperdício da energia que passam pelo fomento para aquisição de equipamentos com selos de qualidade de eficiência energética comprovada até orientações sobre medidas de eficientização do uso da energia (ver Figura 6 ).


Referente ao aproveitamento da energia elétrica pelos setores comercial, industrial e residencial, a Figura 7 representa, de acordo com o plano decenal da EPE, a previsão do consumo de energia elétrica no período de 2016 a 2026, o que reflete a necessidade de expansão industrial e mesmo o reforço do sistema de transmissão e distribuição para atendimento às residências e comércios, ou seja, o decênio em curso será um período de ampla utilização da energia elétrica.     


As empresas geradoras, transmissoras e distribuidoras de energia elétrica, assim como as indústrias, agências reguladoras, empresas comercializadoras de energia elétrica, operadores do sistema elétrico, empresas de projetos de instalações elétricas e de automação e controle de subestações, entre outras correlatas, constituem o mercado de atuação do engenheiro eletricista.

O Curso de Bacharelado em Engenharia Elétrica Eletrotécnica da UPE é lecionado na POLI teve seu funcionamento autorizado pelo Decreto nº. 57.838 de 18 de fevereiro de 1966, publicado na edição de 15 de março de 1966 no Diário Oficial da União, estando sob responsabilidade de execução acadêmica pela própria POLI e supervisão da UPE.

Alguns marcos importantes, relacionados à UPE, à POLI e ao Curso de Bacharelado em Engenharia Elétrica Eletrotécnica são apresentados a seguir:

  • 1912: A POLI foi fundada por um grupo de 12 professores, oferecendo os cursos de Engenharia de Geógrafos e Engenharia Civil nas instalações do antigo Colégio Alemão.
  • 1953: A POLI foi agregada à Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) oferecendo o curso de Engenharia Civil e Engenharia Industrial.
  • 1966: O decreto nº 57.838, de 18 de fevereiro de 1966 autorizou o curso de graduação em Engenharia Elétrica, modalidade Eletrotécnica (Engenharia Elétrica – Eletrotécnica) da POLI.
  • 1967: A POLI foi desagregada da UNICAP e incorporada a Fundação de Ensino Superior de Pernambuco (FESP).
  • 1990: A FESP foi transformada em Universidade de Pernambuco (UPE), após o reconhecimento do MEC, adquirindo caráter público estadual com diversos campi no estado de Pernambuco
  • 1991: A POLI é incorporada a UPE, constituindo, junto com a FCAP, o campus Benfica.
  • 2012: Centenário da POLI e início da vigência do perfil curricular (ETT12) instituído pelo projeto pedagógico vigente (2012 até o presente)  para o curso de Engenharia Elétrica Eletrotécnica.
  • 2013: A Portaria nº 4083 da Secretaria de Educação em 29 de Maio de 2013, publicada no Diário oficial do estado em 30 de Maio de 2013, oficializa a renovação do reconhecimento do curso de Engenharia Elétrica Eletrotécnica da POLI/UPE.
  • 2016: Inauguração dos laboratórios de tecnologia de ponta em Redes Elétricas Inteligentes, resultado de parceria de Projeto de P&D ANEEL entre POLI/UPE e Grupo NEOENERGIA.

Docentes no curso de Engenharia Elétrica Eletrotécnica

Prof. MSc. Alexandre Jorge Tavares de Souza
Prof. MSc. Antônio Gonçalves Torres Júnior
Prof. MSc. Antônio Samuel Neto
Prof. MSc. Antônio Varejão de Godoy
Prof. MSc. Ary Pinto Ribeiro Filho
Prof. MSc. Carlos Frederico Dias Diniz
Prof. MSc. Carlos José Caldas Salviano
Profa. Dolores Maria Mendonça Luna
Prof. Dr. Eduardo Henrique Diniz Fittipaldi
Prof. Dr. Emerson Alves da Silva
Prof. MSc. Francisco José Costa Araújo
Prof. Dr. Gustavo Maciel dos Santos
Prof. MSc. José Raimundo Lima Júnior
Prof. Jurany Freitas Melro Travassos
Prof. Dr. Manfredo Veloso Borges Correia Lima
Prof. Dr. Methódio Varejão de Godoy
Prof. Dr. Mozart de Siqueira Campos
Prof. Paulo Álvaro Roriz Dantas
Prof. Dr. Roberto Feliciano Dias Filho

Coordenação do curso:

Coordenador:
Prof. Dr. Roberto Feliciano Dias Filho
Vice-coordenador: Prof. MSc. Antônio Samuel Neto
Contato: coordeletrotec@poli.br

A atual renovação de reconhecimento do Curso de Engenharia Elétrica Eletrotécnica da POLI/UPE foi legalmente deferida em 25 de agosto de 2021 por meio do Parecer CEE/PE nº 73/2021-CES, publicado no DOE-PE em 10 de setembro de 2021 pela da Portaria SEE nº 4.418 publicada em mesma data.